segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Eu Sou o Último Judeu - Chil Rajchman



Esse é um dos livros mais fortes que já li sobre Holocausto, juntamente com “Auschwitz – O Testemunho de um Médico” que também já foi resenhado aqui no blog.

Esse livro possui uma perspectiva diferente da que teve Miklos Nyiszli, o autor de “Auschwitz” porque aquele era um dos médicos auxiliares do campo, ele viu muitas atrocidades, mas não era um dos prisioneiros comuns que passaram por todas as provações e atrocidades que os carrascos nazistas impunham aos prisioneiros. Treblinka era um campo onde os métodos usados pelos nazistas eram bem piores do que em Auschwitz. Treblinka não era um campo de concentração como Auschwitz, Treblinka era um campo de extermínio onde as pessoas chegavam para morrer. Os poucos que eram selecionados para trabalhar sofriam atrocidades terríveis que são relatadas ao longo do livro.

O livro é bem fácil de ler e é relativamente curto (152 páginas), mas é praticamente impossível ler de uma vez só, pelo menos foi impossível para mim. O livro é tão pesado que eu tive que ir fazendo pausas durante a leitura, porque não consegui digerir o conteúdo de uma vez só, por ser demasiado forte. Uma noite eu até tentei ler todo de uma vez só, mas acabei adormecendo e tive um pesadelo onde eu era uma das prisioneiras do campo e eu mesma executava uma das tarefas impostas aos prisioneiros, que era extrair dentes de ouro da boca de cadáveres que saíam das câmaras de gás.

Eu estudo sobre Segunda Guerra Mundial e Holocausto desde os meus onze ou doze anos, não tenho muita certeza. A verdade é que poucos livros me chocaram tanto quanto esse. Sem dúvida, é bem impactante e deve ser lido por todos, sem sombra da dúvida. É narrado sem rodeios, vai direto ao ponto. E foi essa uma das coisas que mais me deixou chocada: é um relato bem cru.
Não vemos todo aquele drama já comum nos livros do mesmo gênero, esse vai direto ao assunto e expõe tudo de forma bem clara. É um dos livros que já li que mesmo tendo poucas páginas, consegue ser bem indigesto e difícil de engolir.

O livro é muito bem escrito e bem estruturado. Um dos motivos pelo livro ser tão chocante é que foi escrito logo depois da guerra, com as memórias e emoções do autor bem à flor da pele e não muitos anos depois e com a ajuda de um escritor como vemos comumente por aí.

Eu só acho que o autor poderia ter se aprofundado um pouco mais em alguns pontos. O livro começa com ele sendo deportado para Auschwitz. Acho que um prefácio com ele contando a vida dele e de sua família durante os anos de ocupação na Polônia, o dia-a-dia no gueto judaico e tal, não teria caído nada mal. Também senti falta de um posfácio relatando o que aconteceu com o autor após a guerra. Que pena, infelizmente ele só narrou o ano em que ficou confinado no campo, o que só torna o relato ainda mais cruel.

Apesar de ser uma leitura bem forte, chocante e pesada, eu recomendo. Sempre devemos tomar consciência e nunca esquecer do que o ser humano já foi capaz.

5 comentários:

  1. Nossa, eu realmente fiquei com medo de ler esse livro. Um livro tão forte assim não seria uma boa pedida para o momento.

    Um beijo,
    Luara - @luuara
    http://estantevertical.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Então, eu e um amigo o adicionamos na lista de desejados... Depois dessa resenha já não tenho tanta certeza, mesmo que não conheça muito de Treblinka e seria um acréscimo. Ainda assim, gostei de sua resenha. :D

    ResponderExcluir
  3. Nossa! Apesar de sempre ler livros sobre o Holocausto,não sei se eu leria esse, pelo menos por agora. Mas achei interessantíssimo, por isso vou anotar a dica e ver se leio mais para frente.
    Parabéns pela resenha.
    Seguindo aqui.
    Beijos.
    http://booksedesenhos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Adoro ler livros com esse tema, mas esse parece ser tão forte que tenho que preparar meu emocional antes, rs.
    Bjs!

    http://letrassobreletras.blogspot.com

    ResponderExcluir