terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Cinderela Chinesa - Adeline Yen Mah


Esse é um dos livros mais fofos e tristes que já li, além de ser um ótimo exemplo de superação.

Adeline viveu uma infância digna de Cinderela, como diz o livro. Maltratada pela madrasta que a humilhava constantemente, tratada com indiferença pelo pai e com hostilidade pelos irmãos, ela encontrava seu refúgio nos livros, na escola e também com seu querido avô e sua tia, únicos membros de sua família que realmente a amavam.

A história do livro é toda narrada durante um dos períodos mais sombrios da China, que muito vi serem retratados nos livros de outra escritora chinesa que também adoro, chamada Xinran: a guerra civil chinesa, quando Mao Tsé-Tung assume o poder da China e implanta o regime comunista no país.

Além de ter vivido numa época de terror, ela relata em seu livro de memórias todo o sofrimento que passou na infância e também seus momentos de glória, que a faziam ter esperança para seguir em frente em busca de seus sonhos.

O mais interessante é que este livrinho só narra a infância da autora. Adeline Yen Mah, que atualmente é uma senhora idosa, também escreveu uma biografia completa, chamada “Coração em Cinzas” e narra toda sua trajetória durante a vida. Eu estou bem curiosa para ler este livro, pois a autora conta o que aconteceu em sua vida logo após sair da China e “Cinderela “Chinesa” só conta a sua infância.

Eu simplesmente adoro esse livro e indico para todos! É aquele livro para ser lido por pessoas de 8 a 80 anos. Durante a leitura, você não acredita nas coisas que uma menina de 8 anos teve que enfrentar para vencer na vida. Infelizmente é o que aconteceu – e ainda acontece – com muitas meninas e mulheres na China.

Para quem gosta de conhecer culturas e costumes diferentes, também é uma boa pedida. O livro é pequeno e de fácil leitura. Não tem desculpas para não ler.

7 comentários:

  1. Oie!!!
    Não conhecia o livro, mas ameiii a resenha!Acho muito interessante esse tipo de história, prendem muito minha atenção.
    Seguindo seu blog. Passa no meu?
    http://coisasdemeninasarteiras.blogspot.com/
    Se gostar, segue ;)
    Bjoo ;*

    ResponderExcluir
  2. Oi, te indiquei para um meme no meu blog, espero que não se importe. Segue o link: http://keziahraiol.blogspot.com/2012/01/selinho.html

    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  3. Confesso que esse livro não tinha chamado muito minha atenção não, mas agora com essa tua resenha acho que vou adiciona-lo na minha estante para uma futura leitura ;)

    Bjinhos

    ResponderExcluir
  4. Oi Anne, não conhecia ainda esse título e gostei bastante dos assuntos que envolvem o livro! Realmente a leitura se torna muito rica quando o livro nos ensina várias coisas a respeito de outras culturas e costumes!

    Gostei da resenha, já estou seguindo!

    até mais!

    Prólogo da Leitura

    ResponderExcluir
  5. Ao longo da leitura, eu comecei a me interessar no livro. Daí foi só mencionar que a obra é uma espécie de biografia e, pronto! Quero ler!
    Eu, que sou fã da cultura oriental, não vou deixar de ler.
    Anotado na lista. xD

    Ótima resenha! Seu blog tá show, e o nome é divertido de um jeito inteligente. Joguei "canafístula" no gloogle. rsrs

    Parabéns!

    Pedro Almada
    @Pedro_Almada
    http://inspirados-oandarilhodotempo.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Eu já li esse livro! Chorei litros e é um dos meus favoritos! É muito bom! Tanto é que também fiz uma resenha no meu blog!
    Eu gosto de livros que retratam outras culturas. É um ótimo jeito de viajar continuando na própria casa, :)

    Há algum tempo, depois de ler o livro, vi uma matéria na Veja sobre uma mãe que seguia a mesma forma de educar que os pais da Adeline. Mas, ela mudou os modos depois que a filha mais nova disse que a odiava. Depois, a mãe escreveu um livro sobre esse modo de ser mãe, as "mães tigres". (http://veja.abril.com.br/blog/nova-york/china/a-mae-tigresa-o-modelo-chines-e-a-ansiedade-americana/)

    Adorei a resenha!
    Beijos,
    Mariana,
    http://lereconhecer.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. Lindísso escrito e triste história! Não tem como não se emocionar e chorar com a pequena Adeline! Eu chorei mais que ela, com certeza!

    ResponderExcluir